5 min de leitura

Confira 6 maneiras de motivar alunos em sala de aula

Motivar os alunos em sala de aula e mantê-los dessa forma se trata de algo muito delicado, pois cada um apresenta interesses diferenciados e a aprendizagem acontece de maneira singular, em períodos que oscilam de acordo com as limitações e potencialidades manifestadas. E isso faz com que a dinâmica em classe seja um processo desafiador.

Dessa forma, é tarefa do professor e de toda equipe pedagógica buscar estratégias que possam atender a todos e sempre considerar a possibilidade de mudanças, conforme sentir necessidade. Para informar você melhor sobre o assunto, preparamos este post e reunimos dicas valiosas que podem auxiliar na motivação e desempenho dos alunos. Confira!

 

Como motivar alunos em sala de aula

1. Conheça cada aluno individualmente

Um dos aspectos mais importantes a ser considerado dentro de sala de aula, é perceber que cada aluno apresenta seus próprios caminhos de aprendizagem, e todos aprendem em seu tempo, dentro de suas limitações. A partir do momento em que o olhar é voltado para esse sentido, o professor identifica o estudante como ser aprendente no ambiente educativo, permite que ele se reconheça enquanto ser humano e o ajuda a compreender que erros e acertos são normais.

Dessa forma, consegue-se construir estratégias que acolham a todos e se desconstrói a ideia de ensinar e aprender apenas de um jeito, ou seja, se não der certo de uma maneira, será muito mais sutil mudar um pouco aquele modo, a partir dos detalhes que você conhece do seu aluno.

Se aproxime deles e busque proporcionar voos mais altos com os seus estímulos enquanto educador, pois assim fica bem mais fácil acertar e construir um ambiente acolhedor, de satisfação e motivação, a partir do momento que eles se sentirem acolhidos do jeito que são, sem julgamentos.

 

2. Promova o diálogo em sala de aula

Como falado anteriormente, aproximar-se dos alunos é essencial para construção de um ambiente acolhedor. E assim, uma das formas para conseguir construir esse espaço é proporcionar momentos de diálogo, em que os estudantes possam se sentir à vontade para expor suas dúvidas, conquistas, erros e acertos.

O professor que consegue alcançar e perceber o valor dos diálogos com sua turma ou mesmo naqueles individuais com alunos específicos, certamente tem muitos ganhos profissionais e pessoais, pois além de conseguir maiores chances do aluno vencer e alcançar a proposta pedagógica pretendida, consegue também concretizar sua missão enquanto educador.

Assim, reconhecer e transformar o diálogo em algo além das palavras soltas, é considerar o que causa, por exemplo, a insatisfação dentro de um determinado conteúdo e avaliar como será possível ajudar, o que poderia ser feito para modificar determinada didática, traçar estratégias e metas de alcance. Esse processo é contínuo e não se esgota, pois estamos em constante transformação. Então, esteja sempre atento a isso.

 

3. Desenvolva atividades relacionadas com a vida dos alunos

Para fazer parte é preciso se sentir dentro de um processo. A aprendizagem é algo abrangente e exige que todos os participantes possam participar disso, ou seja, é muito mais significante trabalhar uma determinada matéria — a matemática, por exemplo — que causa mais dificuldade à turma a trazendo para o dia a dia deles e mostrando como ela pode estar presente em suas vidas.

Dessa forma, além de tornar a aula mais dinâmica e significativa, proporciona-se também a possibilidade dos alunos e do professor se conhecerem. A partir disso, é possível saber que a família de um estudante, na aula de Geografia, mora em determinado lugar com culturas e costumes diferentes, que precisam ser respeitados.

Já na aula de Português, constata-se que existem várias línguas e maneiras de falar e se expressar, mas nenhuma é melhor que a outra. Essa abordagem pode ser utilizada também para explicar que embora as pessoas que convivemos sejam diferentes de nós, de algum jeito nos complementamos enquanto seres humanos e aprendizes dos conteúdos e da vida. Desse modo, será possível conhecer um pouco de cada um dentro e fora da escola.

 

4. Saiba dar feedbacks

Ao usar os feedbacks como instrumento de motivação em sala de aula é preciso estar atento para ser claro e agir com delicadeza nas avaliações pedagógicas. Isso significa que apontar somente os erros de um aluno dentro de determinada prática pedagógica oferecida na escola, pode ser desfavorável ao processo dependendo de como essa criança ou adolescente compreende.

Dessa forma, é essencial ter em mente que os alunos gostam desses retornos, pois isso mostra o desempenho em sala de aula, porém, é necessário saber usá-lo em favor de todos os objetivos educativos. Portanto, sempre que sentir necessidade de apontar principalmente as falhas, fale em linguagem suave o que se deve melhorar, mas também diga em quais pontos houve destaque e como essas potencialidades ajudarão nas limitações.

Assim, tudo se torna mais leve no ato de ensinar e educar, bem como mais significativo para alunos e educadores.

 

5. Promova a autonomia

Promover a autonomia é possibilitar que o aluno caminhe quando o professor não estiver perto para ajudá-lo e ensinar que ele deve recorrer ao educador nos momentos em que algo prejudica seu aprendizado, nos casos de dificuldade e necessidade de apoio na aprendizagem. No entanto, deve-se deixar claro que isso não o torna incapaz, pelo contrário, é o estímulo que precisa para prosseguir.

Muitas vezes pode acontecer do estudante passar por alguma dificuldade e sentir vergonha em buscar ajuda para superar a situação. Fazê-lo compreender que isso é normal e natural o manterá mais motivado. Essa autonomia pode ser trabalhada em:

  • atividades em grupos;
  • debates em turma;
  • atividades com liderança;
  •  momentos em que o aluno possa expor um conhecimento que ele adquiriu com mais facilidade que os outros;
  •  atividades de pesquisa.

Dessa forma, o professor tem a oportunidade de motivar os alunos, possibilitando o desenvolvimento do senso crítico no aluno e de torná-lo participante de um processo que visa o sucesso do seu processo educativo.

 

6. Utilize tecnologias para motivar os alunos

Sabemos que vivemos no momento em que a tecnologia influencia bastante todas as gerações. Essa influência pode ser vista e considerada em diferentes contextos que a colocam como prejudicial ou benéfica. Porém, é possível usá-la a seu favor em sala de aula, ainda que alguns alunos estejam muito voltados a ela e um pouco dispersos.

Um primeiro aspecto muito importante a ser pensado em relação a isso é perceber os meios tecnológicos como algo de interesse do estudante. Então, se interessa à maioria da turma, por que não unir o aprendizado a ela? A parceria é muito interessante!

Existem atualmente vários aplicativos, jogos educativos e recursos gratuitos ou pagos que podem além de incluir e possibilitar um aprendizado mais inovador, proporcionar uma aula mais dinâmica e que contribuirá tanto com o trabalho desenvolvido pelo professor — planejamentos, planos de aula, acompanhamento virtual da aprendizagem do aluno, etc — como dos alunos — vídeos, atividades na internet, dúvidas, aproximação da relação professor-aluno, etc.

Como é possível observar, para motivar alunos em sala de aula é necessário notar que as limitações e potencialidades ultrapassam uma pedagogia tradicional. Por isso, se disponha a acolhê-los com o uso do conhecimento pedagógico, mas também com bastante sensibilidade para perceber a essência dentro da vivência de cada um.

O interessante é trazê-los a você, para que o ato de educar e aprender ultrapasse os muros da escola e seja traduzido a uma aprendizagem significativa e motivadora.

E aí, gostou do post? Então compartilhe nas redes sociais, para que outras pessoas possam saber um pouco mais sobre estratégias de motivação aos seus alunos!

    Quer ficar por dentro das novidades?

    Assine a nossa newsletter e receba conteúdos incríveis toda semana!


    Portabilis Tecnologia

    A startup de tecnologia que ajuda os governos municipais a superarem a falta de informação através de soluções inteligentes, para aumentar o impacto das políticas públicas de educação e assistência social, focando em transformações sociais e a garantia do acesso de todos os brasileiros aos seus direitos.