4 min de leitura

A influência da mídia no processo de alfabetização

Powered by Rock Convert

Por mais que o papel dos meios de comunicação na formação da criança seja visto de diferentes maneiras, há um consenso: a influência da mídia na educação infantil é notória. Assim, o professor se depara com alunos cujos saberes revelam a sua forte exposição às mídias, especialmente à televisiva e às digitais. Essa realidade tanto apresenta pontos positivos como problemas no processo de alfabetização e letramento.

Continue lendo e saiba quando as mídias podem ser aliadas, e em que casos são inimigas da aprendizagem!

Mídias que contribuem no ensino e na aprendizagem

Quando as mídias tornam a aula mais interessante e lúdica, o seu uso passa a constituir uma valiosa estratégia pedagógica. Primeiro, porque aproxima o ambiente escolar da vivência do aluno, ajudando a sondar e trabalhar os seus conhecimentos prévios.

Segundo, em razão da contribuição das mídias, que oferecem uma infinidade de possibilidades para se trabalhar a aquisição da leitura e escrita do aluno.

Desse modo, desde as simples tirinhas recortadas de um jornal até os vídeos da internet somam atratividade e interatividade aos recursos disponíveis ao alfabetizador.

Apropriar-se desses materiais e usá-los para apoiar o ensino-aprendizagem é valer-se da influência da mídia na educação infantil.

Computadores a serviço da alfabetização

A tela do computador como espaço de escrita: essa é a proposta da atividade pedagógica que tem o computador como material de apoio com a mediação do professor.

Sites e aplicativos que estimulam a construção do saber

Cores, sons, movimentos feitos na medida para estimular a mente infantil: essas são as propostas da tecnologia nas 7 ferramentas pedagógicas elencadas a seguir:

1. Projeto Pé de Vento

Conteúdos especialmente destinados aos alunos do primeiro ano, que podem ser acessados na internet, armazenados no pen drive ou memória do computador da escola.

Dividido em 4 aventuras vividas por um menino e uma menina, o projeto é pensado para ser realizadas nas 32 semanas do ano letivo. Contempla sucessivos desafios, em que à medida que um é cumprido, a história prossegue.

Contém ainda diversos vídeos, muitas imagens, jogos e músicas, além de planos de aula.

2. Escola Games

O site conta com jogos educativos desenvolvidos com foco nas crianças a partir de 5 anos. A ideia é ofertar a esse público diversão voltada à aprendizagem, de forma a apoiar o processo de alfabetização.

3. Ludo Educativo

O site é feito para divertir e interessar o aluno com vistas a ensinar conteúdos programáticos. A aquisição de habilidades sociais está entre os objetivos dos jogos didáticos, pois vários deles demandam trabalho em equipe.

4. Livros Digitais

Espaço virtual para a criação de livros, que pode ser utilizado a partir de um simples cadastro. O intuito é de estimular a escrita do aluno, que adquire a posição de autor e protagonista da produção textual.

5. Logos ABC

Jogo durante o qual é preciso conectar imagem e som, apresentando palavras que devem ser identificadas pelo aluno em meio a outras. Está em destaque entre as muitas alternativas da Escola Digital.

6. Aulas animadas

O aplicativo é feito para smarthphones e tablets, e tem atividades voltadas à alfabetização e letramento. Outras das suas funcionalidades são propostas pedagógicas e planos de aula.

Powered by Rock Convert

7. A tartaruga turbinada

Livrinho interativo para as crianças lerem, seja qual for a hipótese de escrita em que estejam. A sua utilização demanda tela sensitiva, do tipo touch screen.

Quando as mídias jogam contra a aprendizagem

O fato de o aluno estar em constante contato com as mídias faz com que elas se incorporem ao seu dia a dia e nem sempre de forma positiva. A superexposição da criança à televisão e internet, por exemplo, tem múltiplos efeitos nocivos.

Dentre os resultados do impacto desse tipo de exposição estão os problemas emocionais. Além disso, doenças e distúrbios podem ser desenvolvidos em caso de exagero de tempo passado em frente à TV e às telas de celular e computadores. Depressão infantil, ansiedade e, até mesmo, a instalação de quadro psicótico estão entre esses males. 

Esses perigos todos à saúde da criança, e muitos outros, estão associados somente ao tempo que ela passa acessando as mídias televisivas e digitais. Ou seja, independem do tipo de programação e conteúdos aos quais têm acesso.

Em relação a essa questão, muitos dos conteúdos exibidos na TV, disponíveis na internet ou feitos para videogames jogam contra a formação da criança, sendo os mais destacados, nesse quesito, aqueles com conotação violenta e/ou sexual.

Considerando-se o poder que as mídias têm sobre a formação da criança, pode-se também listar entre os efeitos colaterais de seu uso o estímulo ao consumismo.

As dificuldades originadas da exposição exagerada às mídias digitais também incluem:

Isolamento social

O advento da popularização da internet foi praticamente um marco na história da humanidade, acontecimento que conectou, definitivamente, o mundo inteiro.

Com a confirmação desse prognóstico otimista, por incrível que pareça, as crianças estão mais suscetíveis de se isolarem do meio que as rodeia. Com celulares e tablets nas mãos, fascinadas pelos jogos e pelas redes sociais, elas se desligam de tudo.

Desinteresse pelas atividades

Crianças em idade escolar que passam horas na frente de uma tela de computador, videogame, celular ou tablet se acostumam à dinâmica dos meios digitais. Neles, os eventos acontecem em um ritmo diferente daquele dos acontecimentos que têm lugar no mundo real.

A criança se acostuma com esse “formato” e tem dificuldade em se interessar por atividades fora dele. Com isso, torna-se pouco participativa nas atividades propostas em sala de aula, cujo apelo é pouco semelhante ao do mundo virtual.

Baixo rendimento

Se em outros tempos era comum as crianças entre 5 e 11 anos dormirem cedo, agora não é mais regra. Em detrimento dos hábitos saudáveis em relação ao sono, muitas famílias acabam descuidando e as crianças ficam até tarde na frente de uma tela brilhante.

Esse descuido reflete na sala de aula, pois a criança que ficou até tarde acordado, entretido com as mídias, dificilmente vai construir conhecimentos como se estivesse descansado.

Entre prós e contras, contribuições e prejuízos pedagógicos, a influência da mídia na educação infantil é um fato. As consideradas tradicionais, como a revista em quadrinhos, há tempos tem o seu lugar no processo de alfabetização e letramento.

Quanto às mídias digitais, embora venham ganhando espaço pouco a pouco no cenário da escola pública, já são uma tendência mundial no tocante ao processo de ensino e aprendizagem. Principalmente no processo de alfabetização.

Quer saber o que fazer para aumentar a participação dos pais na vida escolar dos filhos? Baixe agora o e-book Como engajar os pais na vida escolar do aluno e descubra!

Powered by Rock Convert

Quer ficar por dentro das novidades?

Assine a nossa newsletter e receba conteúdos incríveis toda semana!


Portabilis Tecnologia

A startup de tecnologia que ajuda os governos municipais a superarem a falta de informação através de soluções inteligentes, para aumentar o impacto das políticas públicas de educação e assistência social, focando em transformações sociais e a garantia do acesso de todos os brasileiros aos seus direitos.