5 min de leitura

Atendimento via WhatsApp, em Schroeder e Rio do Campo, garante que população continue assistida por políticas públicas

Powered by Rock Convert

Municípios se reinventam, e utilizam das tecnologias, para continuar atendendo cidadãos. 

Sem casos confirmados até essa terça-feira, dia 31, o Município de Schroeder, no norte de Santa Catarina, segue as rotinas no Departamento de Assistência Social, utilizando das tecnologias de informação e comunicação, para garantir que a população continue sendo atendida. Para isso, a gestão adotou um modelo de atendimento por WhatsApp/telefone, bem como home office. O mesmo modelo também vem sendo utilizado pelo Departamento de Assistência Social de Rio do Campo, no alto vale do Itajaí.  

De acordo com a diretora de Assistência Social de Schroeder, Daiane Wolf, após uma reunião com as assistentes sociais do Município, foram definidos as melhores estratégias a fim de garantir a proteção dos usuários dos serviços, da população em geral, bem como da equipe de trabalho. 

“É um momento de pensarmos juntos, e, ao lado dos coordenadores, definimos o modelo para Schroeder. Ficou acordado atendimento prioritário para toda demanda emergencial, isto é, vulnerabilidades sociais e temporárias, que se enquadram situações de benefícios eventuais (cesta básica e kit de higiene pessoal e limpeza). Todas os cidadãos, usuários ou não, que ligam para acessar esses benefícios ou esclarecer dúvidas, são atendidos pela recepcionista do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), que está trabalhando em home office. Montamos uma estrutura para que todas as ligações sejam recebidas por ela. Essa secretária faz toda agenda do benefício nesta modalidade, e as demandas são repassadas aos assistentes sociais. Estes, que por sua vez, estão trabalhando em revezamento e prestando todo apoio necessário”, explica Daiane. Situações de violações de direitos também se enquadram como emergenciais, e desta forma, também têm atendimento prioritário conforme o decreto do Governo do Estado de Santa Catarina.

Em Rio do Campo, cidade com 7 mil habitantes, a ação é semelhante, conforme esclarece o gestor da pasta, Adevilson Pires. “Temos dois números de telefone com WhatsApp, um na Secretaria e um no CRAS, e é onde estamos centralizando os atendimentos. Antes das medidas de proteção em relação ao vírus, nós já tínhamos grupos de WhatsApp e também uma página no Facebook para facilitar a comunicação com idosos, beneficiários do Bolsa Família, além das famílias atendidas no Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família (Paif), que funcionam muito bem”, conta. 

Atendimentos e procedimentos são registrados no sistema Portabilis. Foto: Divulgação/Prefeitura de Rio do Campo

WhatsApp facilita comunicação 

Em Schroeder, que abriga cerca de 20 mil habitantes, o Whatsapp também facilita a comunicação com as famílias. A equipe de gestão identificou que a maioria tem acesso ao aplicativo. “Fizemos a comunicação entre técnicos e usuário via WhatsApp, por telefone, mas o aplicativo tem sido sendo uma das ferramentas com maior potencial neste momento de pandemia”, destaca. 

O telefone da central do CRAS ficou sob a responsabilidade da recepcionista do equipamento. Os números de WhatsApp, tanto do CRAS, quanto do CREAS, ficaram sob responsabilidade das coordenadoras.  “No CRAS, por exemplo, os agendamentos são semanais e feitos a cada uma hora. Orientamos que as pessoas aguardem do lado de fora para receber o atendimento, cesta básica, por exemplo, no horário marcado. Os técnicos também estão com equipamentos de segurança. Se concedido o benefício, ela o retira, priorizando a saúde dos cidadãos e dos servidores”, completa Daiane. 

Além disso, estão trabalhando em sistema home office os técnicos que atendem os cidadãos que integram o Serviço de Proteção e Atendimento Especializado à Famílias e Indivíduos (PAEFI), que fica na sede do CRAS.  “O ramal dos equipamentos, foi instalado nas casas das assistentes sociais. E os números de WhatsApp ficaram com as coordenações, que filtram as questões recebidas no WhatsApp, e se tiver necessidade de contato telefônico, sinalizam para as técnicas que estão em home office”, explica.  

Um sistema que protege usuários e equipe 

Nos municípios, além da proteção à saúde dos usuários e da população em geral, o bem-estar das equipes técnicas também está em pauta. Medida que é atendida devido aos benefícios do Sistema da Portabilis. “Estamos lançando tudo de casa. Cada visita, atendimento e encaminhamento, pois o sistema é on-line e esse é o grande diferencial. Temos profissionais que também residem em outro Município e continuam trabalhando devido aos benefícios do Software. Imagine, todos os usuários estão protegidos, mas nada adiantaria se estivéssemos nos reunindo enquanto equipe na Secretaria. Com o sistema, estamos integrados sem a necessidade de aglomeração”, enaltece o gestor de Rio do Campo. 

 

Equipe técnica trabalha unida, de forma on-line, por meio do sistema Portabilis Foto: Divulgação / Rio do Campo

No sistema on-line da Portabilis, todos os técnicos têm acesso ao cadastro da família e aos registros de atendimentos. A tecnologia pode ser acessada via tablet, celular ou computador. “Desde 2014, quando implantamos o sistema aqui, a equipe da empresa sempre nos deu suporte. A ferramenta é ótima porque facilita o cadastro das famílias. Quando precisamos de um contato rápido, vamos na busca integrada da família e conseguimos todas as informações que foram alimentadas no sistema. Então, essas informações sistematizadas facilitam o nosso trabalho, e evita que estejamos reunidos ou repetindo informações que já estão arquivadas”, fala Daiane.   

Para os que não dispõe de acesso à internet, visitas e acompanhamentos seguem sendo feitos em casos específicos, com todas as medidas de segurança exigidas pelos órgãos de saúde.  Além disso, as equipes fixaram cartazes informativos nas portas dos prédios públicos, contemplando a população que, por ventura, não tenha acesso aos aplicativos.

 

No CRAS de Schroeder, atendimento presencial para retirada de benefícios é feito por agendamento, evitando aglomerações. Foto: Divulgação / Prefeitura de Schroeder

Trabalho em parceria

Os dois municípios também seguem em contato constante com os plantonistas dos Conselhos Tutelares, bem como com as famílias atendidas no Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS). “Não podemos ficar tantos dias sem contato com as famílias. Caso o Conselho identifique a necessidade de atendimento, estamos organizados para isso”, enfatizou a secretária de Schroeder.

As Prefeituras também aguardam as orientações finais do Programa Renda básica, que neste momento, aguarda somente a sanção do presidente da república para ser concretizado. Com o Programa, pessoas de baixa renda e trabalhadores informais receberão de R$ 600 a R$ 1.200, dependendo de cada caso.  “Estamos aguardando as sanções do Governo Federal e orientações. Assim que estes detalhes estiverem definidos, a população será comunicada”, alerta Daiane.

O trabalho intersetorial, com as Secretarias de Saúde e Educação também sido constante. Em Rio do Campo, duas famílias precisaram ficar isoladas por conta da Covid-19. “São famílias que trabalhavam na informalidade, ganhando por dia, e, impossibilitadas de trabalhar, necessitaram de benefícios eventuais. A Secretaria nos contatou e, imediatamente, concedemos o auxílio alimentar. Esse atendimento também já foi inserido no sistema da Portabilis, para futuros contatos e procedimentos”, conta Adevilson. 

Informações para a população: 

WhatsApp Rio do Campo
47 35640136 – CRAS
47 35640435 – Departamento de Assistência Social

WhatsApp Schroeder
47 3374 6450  – CRAS
47 3374 6460 – CREAS 

 

 

Powered by Rock Convert

Quer ficar por dentro das novidades?

Assine a nossa newsletter e receba conteúdos incríveis toda semana!


Tânia Giusti

Tânia Giusti é bacharel e mestre em jornalismo, entusiasta da educação e escreve sobre como políticas públicas de educação e assistência social podem transformar a sociedade. Na bagagem, traz vivências jornalísticas do trabalho com assessoria de imprensa no setor público. Participe, mande relatos ou sugestões para contato@portabilis.com.br