4 min de leitura

Atividades de leitura: 6 dicas para incentivar seus alunos

Atividades de leitura: a oralidade, a escrita e a leitura são os três eixos norteadores da alfabetização, a qual vai muito além de mostrar como ler e escrever a uma criança — significa, também, ensiná-la a compreender o que foi lido e a fazer uso da palavra.

Nesse sentido, desenvolver atividades de leitura em sala de aula é importante não só para ensinar o aluno a gostar de ler e escrever, mas também para a evolução de seu aprendizado e para conectá-lo a realidade, permitindo-o, assim, compreender o seu contexto.

Sabemos, porém, que às vezes é difícil despertar o interesse da turma pelas palavras. Com isso em mente, vamos citar e explicar 6 dicas de dinâmicas para que você consiga incentivar os seus alunos a leitura. Acompanhe!

1. Monólogo dramatizado

A literatura, por si só, é uma ótima ferramenta para estimular o entusiasmo do aluno pela leitura e escrita. No entanto, o professor precisa ser capaz de tornar a aula mais atraente e criativa, isto é, fugir um pouco do tradicional para demonstrar que esses momentos também podem ser divertidos.

Uma sugestão é a dramatização do texto após a interpretação. Essa proposta tem tudo para conferir instantes de descontração enquanto os alunos desenvolvem habilidades como a própria leitura e sua compreensão, a desinibição, a oralidade e a expressão corporal.

Começar com o monólogo dramatizado em sala não é difícil, é preciso escolher uma cena do texto, de preferência uma passagem curta e descomplicada, e pedir para que os alunos se envolvam na história durante a representação da atividade de leitura.

2. Roda de leitura

Outra ideia de atividade que o professor pode propor em sala de aula é a roda de leitura. Uma vez sentados em círculo, cada um pode ler um trecho do texto — o qual deve variar em diferentes gêneros para que o repertório se amplie.

Nesse tipo de atividade de leitura é importante optar por materiais e conteúdos de qualidade e ir além dos contos de fada. O educador pode, por exemplo, trazer notícias que tratem de assuntos interessantes para as crianças e convidá-las para um debate.

Na roda de leitura o aluno tem a oportunidade de aprender sobre as características que particularizam os gêneros textuais, os usos e as funções da escrita e as distinções entre o escrito e o oral. Além disso, ele se habitua com a linguagem e os elementos contidos nos diversos tipos textos.

3. Jogo de identificação de palavras e interpretação

O objetivo dessa atividade é desenvolver algumas habilidades importantes de leitura e entendimento do texto no estudante. Isso porque o ideal é que ele não saiba apenas decodificar as palavras, mas também compreender o uso e o sentido delas na história.

Para aplicar esse jogo educativo, você precisará de dois conjuntos de fichas ou plaquinhas de cartolina. No primeiro escreverá palavras fáceis de se representar visualmente — como casa, cachorro, carro e flor — e, no segundo, desenhará ou fará colagens de figuras que representem as palavras escolhidas.

Feito isso, peça para que o aluno combine o termo com a imagem correspondente. É importante ressaltar, porém, que para essa atividade, cujo propósito é o reconhecimento das palavras de maneira simples e divertida, é necessário que a criança já identifique as letras do alfabeto.

4. Leitura com caça-palavras

Essa é uma dinâmica muito bacana de se aplicar nos primeiros anos da escola, quando o aluno está aprendendo a ler e a compreender as palavras. Ela consiste, basicamente, em uma brincadeira de pesquisa e assimilação que colabora para a evolução das habilidades de leitura do estudante.

Para dar início a essa atividade de leitura, o professor terá que escolher dez palavras e escrevê-las, cada uma, duas vezes em cartas — totalizando, assim, vinte fichas e dois conjuntos. O próximo passo é esconder um dos conjuntos pela sala de aula, como no chão, na estante de livros, no quadro de avisos e na mesa.

Em seguida, o educador deverá entregar o segundo grupo de cartões ao aluno para que ele busque pela palavra que coincida com a primeira plaquinha que tem em mãos. É possível, no entanto, que a criança encontre uma ficha diferente, mas nesse caso ela deve reconhecer que não se trata da mesma palavra e prosseguir com a caça.

5. Desenho dos personagens

Outra maneira de incentivar a leitura, aguçar o interesse e estimular a imaginação dos alunos, é pedir para que retratem o que foi lido. Por meio dessa descrição em forma de desenho, a criança percebe a necessidade de atentar aos detalhes, aumentando, assim, a concentração nesses momentos da aula.

A nossa sugestão é que o professor encoraje o educando a pensar sobre um personagem específico após a leitura de cada capítulo, levando-o a refletir sobre alguns pontos da narrativa, para que, assim, possa dar início ao desenho.

Por exemplo: qual a aparência do personagem? O que será que ele estava pensando ou sentindo? Por que agiu de tal forma? Esses e outros questionamentos podem ser levantados conforme a turma for avançando nos capítulos e o desenho pode ser atualizado cada vez que se aprende algo novo.

6. Feed de notícia no Facebook

A presença da tecnologia na rotina da grande maioria dos adolescentes é algo inquestionável. Sendo assim, por que não aceitá-la e inseri-la nas atividades de leitura em sala de aula também? Essa será, sem dúvida alguma, uma forma de engajar a turma.

É difícil encontrar um aluno do ensino fundamental que não tenha um perfil no Facebook. A ideia, então, seria transformar a leitura em um feed de notícias na timeline dessa rede social. Como? Muito simples: peça para que coletivamente os estudantes transformem uma passagem do livro em uma conversação comum de um post.

Para isso, eles podem criar perfis com os nomes dos personagens e iniciar um feed de notícias, isto é, um diálogo, em que cada um fala uma coisa e a história se desenrola. Adicionar figuras, balões de falas, gifs, emojis, memes, links e o que mais for comum em redes sociais é uma ideia para dar um ar ainda mais cômico à tarefa.

Atividades recreativas, como as que citamos neste post, são fundamentais para a formação de leitores engajados, críticos e participativos, pois as crianças passam a ter contato com os diferentes gêneros textuais e aprendem a gostar da literatura em todas as suas formas.

Outras dinâmicas — como a produção de poesias, a competição de trava-línguas, as gincanas com soletração e a contação de histórias — também são bem-vindas na proposta pedagógica da escola, uma vez que contribuem fortemente para as atividades de leitura.

Gostou das nossas dicas de atividades de leitura? Assine a nossa newsletter e seja avisado dos próximos conteúdos!

Quer ficar por dentro das novidades?

Assine a nossa newsletter e receba conteúdos incríveis toda semana!


Portabilis Tecnologia

A startup de tecnologia que ajuda os governos municipais a superarem a falta de informação através de soluções inteligentes, para aumentar o impacto das políticas públicas de educação e assistência social, focando em transformações sociais e a garantia do acesso de todos os brasileiros aos seus direitos.