4 min de leitura

CREAS e CRAS: conheça as principais diferenças entre os equipamentos

Infográfico agenda 2030 da ONU

As siglas CRAS (Centro de Referência de Assistência Social) e CREAS (Centro de Referência Especializado de Assistência Social) possuem tamanha semelhança que, muitas vezes, causam confusão sobre suas atividades.

Os dois termos são utilizados para designar diferentes tipos de equipamentos pertencentes ao SUAS (Sistema Único de Assistência Social). Na prática, são os locais físicos em que serviços, programas, projetos e benefícios são ofertados aos usuários da política de Assistência Social..

Diferenças entre CRAS e CREAS

Como você pode perceber, a grande diferença entre eles parece estar na palavra “especializado”. Mas, a explicação não se resume a um simples vocábulo. Por isso, nos acompanhe para saber mais sobre as diferenças entre CRAS e CREAS.

Objetivo

De forma geral, o objetivo dos dois equipamentos existirem é para que promovam ações de enfrentamento das situações de risco e vulnerabilidade. Além de, desenvolver autonomia e potencialidades dos usuários.

Porém, cada um deles tem sua especialidade. Confira abaixo:


CRAS

CREAS
De natureza preventiva. Tem o objetivo de: 

Prevenir situações de risco e vulnerabilidade;
Fortalecer vínculos familiares e comunitários.


De natureza protetiva. Tem o objetivo de:

Acolher, orientar, e acompanhar famílias e indivíduos
em situação de violação de direitos;
Fortalecer e reconstruir vínculos familiares e comunitários.

Público-alvo

Para indivíduos que se encontram em:


CRAS

CREAS
Situação de risco e vulnerabilidade, mas com os vínculos familiares preservados.
Situação de risco pessoal ou social, em que seus direitos foram violados ou ameaçados. 
Exemplos: abuso sexual, violência física ou psicológica, abandono ou afastamento do convívio familiar, dentre outros.

Estruturação

Conforme a Tipificação dos Serviços Socioassistenciais, os equipamentos e o que é ofertado através deles, são divididos conforme níveis de proteção e complexidade:

CRASCREAS
Nível de proteçãoProteção Social BásicaProteção Social Especial
ComplexidadeBaixaMédia
Características geraisEspaço de convivência para a comunidade. É a porta de entrada para os serviços da rede socioassistencial.Exige maior especialização de seus trabalhadores, flexibilidade nas soluções e acompanhamento familiar próximo e individualizado.
Trata-se de um trabalho subjetivo e que demanda tempo para que seus resultados aconteçam.

Veja, a seguir, como o CRAS e o CREAS estão estruturados. Os serviços, formas de acesso, equipe exigida, capacidade e principais atribuições de cada equipamento.

Serviços

CRASCREAS
Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família (PAIF);
Serviço de convivência e fortalecimento de vínculo (SCFV);
Serviço de proteção social básica no domicílio para pessoas com deficiência e idosos.
Serviço de Proteção e Atendimento Especializado à Famílias e Indivíduos (PAEFI – link com o texto PAEFI: saiba como funciona o Serviço de Proteção e Atendimento Especializado a Famílias e Indivíduos);
Serviço de proteção social a adolescentes em cumprimento de medidas socioeducativas de Liberdade Assistida (LA) e Prestação de Serviços à Comunidade (PSC);
Serviço especializado em abordagem social;
Serviço especializado para pessoas em situação de rua;
Serviço de proteção social especial para pessoas com deficiência, idosos e suas famílias.

Acesso

As famílias e indivíduos podem acessar os equipamentos das seguintes maneiras:

CRASCREAS
Busca ativa pela equipe de referência através de visitas aos domicílios ou atendimento no equipamento;
Encaminhados por outros setores públicos, como Educação e Saúde, ou pela própria rede socioassistencial;
Procura voluntária pelo indivíduo ou família.
Encaminhados por outros setores públicos, como Conselho Tutelar, Fórum, Saúde e Educação, ou por serviços da rede socioassistencial, como o Serviço Especializado em Abordagem Social;Procura voluntária pelo indivíduo ou família.

Equipe

Tanto no CRAS quanto no CREAS, a equipe de referência deve ser multidisciplinar. O número de trabalhadores pode variar conforme o porte do município.

As seguintes especialidades precisam estar presentes:

CRASCREAS
Técnicos de nível superior;
Técnicos de nível médio;
Assistentes sociais;
Psicólogos.
Técnicos de nível superior;
Técnicos de nível médio;
Assistentes sociais;
Auxiliar administrativo;
Psicólogos;
Advogado.

Capacidade

O CRAS deve atender, prioritariamente, as comunidades do município onde está alocado. Diferente do CREAS, que pode servir de referência para mais de uma cidade de determinada região.

É de acordo com o número de usuários em situação de vulnerabilidade ou em violação de direitos que a capacidade de atendimento do equipamento é definida. E, em consequência, a quantidade de CRAS ou CREAS a serem disponibilizados para cada comunidade.

Abaixo, você pode visualizar o número de atendimento possível por unidade, bem como a quantidade mínima de equipamentos por porte de município:

CRASCREAS
Pequeno porte I (até 20.000 habitantes)Deve ter pelo menos 1 CRAS para até 2.500 famílias atendidas.Atendimento em CREAS regional ou possibilidade de ter 1 CREAS, dependendo da demanda.
Pequeno porte II (de 20.001 até 50.000 habitantes)Deve ter pelo menos 1 CRAS para até 3.500 famílias atendidas.Deve ter pelo menos 1 CREAS.
Médio porte (de 50.001 até 100.000 habitantes)Deve ter pelo menos 2 CRAS, cada um para até 5.000 famílias atendidas.Deve ter pelo menos 1 CREAS.
Grande porte (a partir de 100.001 habitantes)Deve ter pelo menos 4 CRAS, cada um para até 5.000 famílias atendidas.Deve ter pelo menos 1 CREAS a cada 200.000 habitantes.
MetrópoleDeve ter pelo menos 8 CRAS, cada um para até 5.000 famílias atendidas.Deve ter pelo menos 1 CREAS a cada 200.000 habitantes.

Atribuições

As atividades do cotidiano dos trabalhadores do CRAS e CREAS podem ser resumidas da seguinte forma:

CRASCREAS
Atendimento e acompanhamento familiar;
Atendimento direto e indireto do serviço de convivência e fortalecimento de vínculos;
Atividades envolvendo grupos de famílias da comunidade;
Cadastro, recadastro, atualização cadastral e desbloqueio do Cadastro Único para recebimento do Bolsa Família;
Registro no Cadastro Único para desconto na conta de energia, isenção da taxa de inscrição em concursos públicos e pedido de conversor digital;
Concedimento de benefícios eventuais, como cesta básica, auxílio funeral, auxílio natalidade, com o intuito de superar vulnerabilidades temporárias; Encaminhamento para o mercado de trabalho; Encaminhamento para a rede socioassistencial e demais órgãos públicos, conforme o caso; Agendamento de perícia no INSS.
Atendimento aos usuários;Análise diagnóstica;
Desenvolvimento do Plano de Acompanhamento Familiar;
Acompanhamento, que pode se dar por sessões individuais ou em grupo;
Visitas domiciliares;
Concessão de benefícios (apesar dessa oferta ser mais comum no CRAS).

E então? Conseguiu entender as principais diferenças entre CRAS e CREAS? Há algo que não trouxemos e que queira acrescentar? Conta para nós, será um prazer ouvi-lo!

Se gostou desse conteúdo, assine a nossa newsletter e fique por dentro de outros textos como este!

Infográfico agenda 2030 da ONU

    Quer ficar por dentro das novidades?

    Assine a nossa newsletter e receba conteúdos incríveis toda semana!


    Portabilis Tecnologia

    A startup de tecnologia que ajuda os governos municipais a superarem a falta de informação através de soluções inteligentes, para aumentar o impacto das políticas públicas de educação e assistência social, focando em transformações sociais e a garantia do acesso de todos os brasileiros aos seus direitos.