7 min de leitura

Escola sustentável: Descubra 10 estratégias de como fazer

Sendo a escola sustentável um espaço modelo para a comunidade, sua rotina e suas práticas influenciam diretamente na sociedade. Isso faz com que a instituição de ensino seja o local certo para disseminar conceitos e tomar atitudes capazes de privilegiar a sustentabilidade ambiental.

Dessa forma, não só se obtém benefícios presentes, mas também é possível construir novos valores e atitudes para lançar as bases de um futuro melhor. No entanto, existem escolas que ainda enxergam a inserção de práticas sustentáveis como um grande desafio — em alguns casos, não sabem o quanto isso é importante para o cotidiano dos colaboradores e o aprendizado dos alunos.

Foi pensando nisso que preparamos este post. Vamos explicar o que é uma escola sustentável, a importância desse tipo de gestão e, ainda, elencar 10 estratégias acessíveis para transformar a sua instituição. Acompanhe!

O que é uma escola sustentável?

Antes de entender o que é uma escola sustentável, é preciso destacar que ter uma postura sustentável significa adotar uma forma de desenvolvimento que não comprometa o planeta no presente e que satisfaça às verdadeiras necessidades das próximas gerações.

Uma instituição de ensino que deseja passar esses valores ao seu público deve igualar discurso e prática. Ou seja, mais do que falar ou estimular os alunos a cuidarem do meio ambiente, é preciso praticar, no dia a dia, o que está sendo ensinado de forma participativa e permanente. É essa coerência que evidencia uma escola sustentável e que contribui para a formação de pessoas conscientes.

Qual é a importância de desenvolver uma gestão sustentável?

Além de ser um dos passos mais importantes para a construção de um mundo responsável, equilibrado e livre da escassez de recursos, a implementação de uma gestão sustentável pode garantir uma série de benefícios para a sua escola. Confira alguns exemplos:

  • economia: a diminuição do desperdício e a redução do consumo de energia e de água, por exemplo, são práticas que ajudam a reduzir custos;

  • melhora da imagem: devido aos impactos positivos de suas ações;

  • relacionamento com a comunidade: uma escola acolhedora e sustentável tende a se tornar referência no bairro e criar vínculo com a comunidade.

Ademais, a realidade das condições ambientais vivenciada pela atual geração, expressa o quanto é essencial trabalhar a questão da sustentabilidade na sua instituição de ensino. Afinal, a cada dia é mais comum lermos notícias sobre desastres, como falta de água, contaminação do solo, enchentes ou deslizamentos causados pela degradação do meio ambiente.

Por isso, não podemos esquecer que as crianças e jovens de hoje serão os políticos, empresários ou cientistas de amanhã — isto é, o poder de tomar decisões para preservar o planeta estará nas mãos desses alunos. A instituição sustentável, por sua vez, é responsável por introduzir e trabalhar esse assunto ao longo da vida escolar do estudante, contribuindo, assim, para a formação de adultos engajados e capazes de contribuírem para minimizar os impactos ambientais nos próximos anos.

Como tornar sua escola sustentável?

Ao contrário do que muitos pensam, são pequenas — porém, poderosas — atitudes que formam uma escola sustentável. Com a intenção de mostrar isso para você, separamos 10 estratégias para fazer da educação uma ferramenta na luta contra a destruição do meio ambiente.

1. Abolir o desperdício de água

Eliminar todo e qualquer desperdício desse recurso natural é a primeira atitude a tomar rumo a uma escola sustentável. Nesse sentido, é preciso fazer um diagnóstico de todos os pontos de saída da água, a fim de certificar-se sobre seu correto funcionamento.

Também é essencial conscientizar a todos sobre a urgência de economizar água — por exemplo, fixando mensagens descontraídas que incentivem essa economia nos banheiros e nos bebedouros ou, até mesmo, apelando para palestras de conscientização direcionadas à comunidade.

2. Economizar energia elétrica

Energia elétrica utilizada de forma racional diminui o custo operacional da escola e reduz seu peso para a natureza. Sendo assim, vale propagar essa ideia! Mais uma vez, utilize os avisos: próximos a interruptores e tomadas, eles podem gerar engajamento no uso consciente da eletricidade.

Você também pode aproveitar a data de 29 de maio, o Dia Nacional da Energia, para criar ações de sensibilização da comunidade escolar para as questões relacionadas ao tema — essa é uma ótima oportunidade para fazer demonstrações de como poupar energia.

3. Reduzir o uso de papel

Você já refletiu sobre o que acontece com o papel que é jogado no lixo pela sua escola? Já considerou reduzir o seu uso? Economizar esse material é diminuir o efeito negativo que o homem tem sobre a natureza. Não podemos nos esquecer de que muitas árvores são derrubadas para a extração da celulose.

Por isso, adotar as seguintes medidas é tornar a escola mais sustentável:

  • trocar a papelada rotineira por um sistema de gestão automatizado, que permita a digitalização de relatórios escolares, boletins e diários de classe — dentre outros documentos;

  • estimular o uso racional do papel de todas as maneiras disponíveis: reaproveitando livros e outros materiais impressos e destinando os cadernos já usados à reciclagem, dentre outras formas;

  • cultivar entre alunos, professores e membros da secretaria escolar a cultura de imprimir somente quando for imprescindível.

4. Incentivar o uso racional dos insumos

É possível economizar insumos em todos os setores da escola. O caminho para conseguir isso é engajar quem lida com esses materiais a lutar diariamente contra o desperdício. Sendo assim, leia, a seguir, 3 frentes cuja adesão é indispensável na construção da escola sustentável:

  1. pessoal encarregado da limpeza e conservação: essa equipe precisa participar da luta contra o desperdício economizando materiais que, além de caros, provocam forte impacto ambiental, como detergentes, sabões em pó e outros degradadores da natureza;

  2. funcionários que trabalham na cozinha: devem fazer o melhor aproveitamento possível dos alimentos, armazená-los de forma a evitar perdas e dar correto destino aos resíduos, em especial ao óleo;

  3. alunos, professores e demais servidores: participam com condutas simples, como usar lápis, canetas, borrachas e outros artigos do cotidiano escolar até que realmente não possam mais ser aproveitados.

Cada uma dessas frentes deve dar aos itens com os quais lida a correta destinação: os coletores de materiais recicláveis.

5. Implantar coletores seletivos

Para a comunidade escolar dar destinação certa a cada resíduo produzido em seu meio, é preciso haver lugares determinados para as sobras e os resíduos. Isso tem dupla vantagem: fazer do descarte consciente um hábito e diminuir o trabalho e os gastos com a limpeza da instituição de ensino.

A fim de obter ambos os benefícios, procure instalar coletores seletivos na sua escola. Dê preferência a locais de fácil acesso. Se possível, adote os coletores coloridos, com especificações e cores para cada tipo de lixo. Caso não possa contar com essa estrutura, incentive os próprios alunos a preparar pontos de coleta de recicláveis com os materiais existentes no meio escolar.

6. Promover atividades a céu aberto

A realização de atividades a céu aberto é uma ótima maneira de promover aprendizagem ativa com o meio ambiente, permitindo, assim, que o estudante tenha mais contato com seu entorno e compreenda o seu papel na sociedade. Exercícios práticos tendem a impactar positivamente a compreensão das crianças. Isso acontece porque essas experiências permitem que elas vivenciem conceitos fundamentais de ciência e desenvolvam uma melhora na atitude em relação à natureza.

7. Oferecer espaços sustentáveis

A oferta de espaços sustentáveis é outra característica de uma escola com esse tipo de gestão. Portanto, é interessante investir em objetos e sinalizações que demonstrem essa questão, como os tradicionais cestos coloridos. Outra opção é desenvolver playgrounds com brinquedos sustentáveis, como os fabricados com madeira plástica. Essa alternativa, além de ser resultado de processos de reciclagem e não da derrubada de árvores, é vantajosa porque apresenta maior durabilidade e segurança aos alunos.

8. Cultivar uma horta coletiva

As ações relacionadas ao cultivo de uma horta comunitária não só despertam a consciência ambiental do aluno, como colaboram para a formação do seu caráter, fortalecem suas relações interpessoais, melhoram sua autoestima e desenvolvem habilidades essenciais para o mercado de trabalho.

É difícil imaginar uma escola sem biblioteca ou sala de informática. Em muitos casos, a ausência dessas instalações equivale ao despreparo da instituição para garantir um futuro bem-sucedido aos estudantes. Por que será que não é pensado o mesmo de uma horta, onde a aprendizagem ocorre de forma mais divertida, produtiva e viva?

Portanto, estude a possibilidade de criar e cultivar uma horta coletiva na sua escola. Envolva alunos e professores em todo o processo: escolher as sementes e mudas, aprender a lidar com a terra, regar e cuidar de cada espécie, entender a hora certa de colher e, principalmente, compreender como essa atividade conecta todos a uma existência mais sustentável.

9. Incentivar a criação de uma rede de caronas

Quer aproximar as famílias da sua instituição de ensino ainda mais? Faça uma reunião para apresentar pais que morem perto e verificar a possibilidade de revezamento para levar e buscar os alunos da escola. Deixe claro que essa dinâmica tem tudo para ser bastante vantajosa para todas as partes, visto que gera economia, de tempo e dinheiro, permite que os pais se conheçam melhor e favorece a sociabilização das crianças e dos adolescentes.

Além disso, esse será um exemplo que os próprios pais poderão dar aos seus filhos, uma vez que essa medida é extremamente benéfica para o meio ambiente, pois, por menor que seja o trajeto, serão menos veículos emitindo gases poluentes.

10. Convidar todos a contribuir

O gestor que se compromete com a causa ambiental precisa de colaboração, já que sem ela é inviável alcançar o objetivo da escola sustentável. Considerado isso, convide todos a participar do movimento em prol de fazer o ambiente de aprendizagem ser um espaço ecologicamente correto.

Afinal, na causa comum do respeito ao planeta, há lugar para variadas ações. Logo, todos podem (e devem) colaborar. Vale ressaltar, outra vez, que esse envolvimento possibilitará uma aproximação entre a sua instituição de ensino e toda a comunidade.

Cada estratégia acima relacionada vai impactar positivamente na rotina da sua instituição, quando somada à colaboração e à boa vontade dos membros da comunidade escolar. Conquistar uma escola sustentável, nesse caso, passa a ser questão de tempo e persistência para o atingimento do ideal.

Gostou das nossas dicas? Tem uma sugestão sobre sustentabilidade? Deixe um comentário!

Quer ficar por dentro das novidades?

Assine a nossa newsletter e receba conteúdos incríveis toda semana!


Portabilis Tecnologia

A startup de tecnologia que ajuda os governos municipais a superarem a falta de informação através de soluções inteligentes, para aumentar o impacto das políticas públicas de educação e assistência social, focando em transformações sociais e a garantia do acesso de todos os brasileiros aos seus direitos.