8 min de leitura

Práticas inovadoras na educação: conheça 9 delas

O mundo mudou e, com ele, a maneira de nos relacionarmos com as outras pessoas e com o ambiente também. Não nos comunicamos mais do mesmo jeito, tampouco aprendemos como antes. Nesse contexto, é importante considerarmos o papel dos alunos e o quanto é fundamental adotar práticas inovadoras na educação, isto é, tomar medidas que acompanhem as mudanças que ocorrem na realidade desses jovens.

Ensinar não é fácil, mas saber que o está fazendo da melhor forma e que, com suas ações, está impactando positivamente a aprendizagem e a vida dos estudantes da sua escola, com certeza, é algo extraordinário. Com isso mente, separamos 5 práticas inovadoras na educação para você se inspirar. Acompanhe!

1. Utilizar técnicas de Design Thinking

Metodologia já muito abordada no mundo corporativo, o Design Thinking nada mais é do que uma abordagem com foco no ser humano para a inovação, levando-o a pensar de maneira crítica e criativa para desenvolver ideias, organizar informações, tomar decisões e adquirir conhecimento.

Dentro das salas de aula, o objetivo desse método é tornar cada aluno um cidadão consciente e capaz de transformar o mundo em um lugar melhor, estimulando pensamentos e ações críticas e criativas. Ou seja, com o Design Thinking é possível despertar o sentimento de protagonismo nos estudantes, fazendo com que se envolvam mais com as propostas da escola.

Há diferentes maneiras de aplicar o Design Thinking na sala de aula. Você pode propor que os alunos reflitam e discutam sobre qualquer tema — como medidas para melhorar o clima e o ambiente escolar. Esse é um jeito de diagnosticar os interesses, necessidades, desejos de cada um deles e usar essas constatações como base para planejar as práticas pedagógicas.

Outra sugestão é utilizar mapas mentais — processo de associação de palavras — para estudar, estruturar o pensamento e aprender, gerando e reunindo ideias. É um método que facilita a memorização de informações e compreensão e solução de problemas.

Em suma, essa dica de inovação pode ser entendida como um jeito mais atrativo e ativo para fazer os estudantes realizarem atividades educativas. Essa não é uma das práticas inovadoras na educação mais legais que você já viu?

2. Estimular o desenvolvimento de competências socioemocionais

Exercícios, repetições e provas são importantes, mas não são as únicas ferramentas necessárias para formar alunos capazes de enfrentar as dificuldades do século XXI — que estão muito além do vestibular. Isso porque o mercado de trabalho e a vida cobram atitudes para as quais eles não são preparados durante o ensino tradicional.

Para conectá-los verdadeiramente à nova realidade do mundo em que vivemos, é preciso adotar meios de aprendizagem mais flexíveis e abrangentes que contribuam para o desenvolvimento de suas competências socioemocionais.

Uma das nossas práticas inovadoras na educação consiste em que você estimule os seus alunos a se mobilizarem por alguma causa importante dentro da realidade deles. Propor experiências inovadoras — como ações de cidadania, solidariedade, transformação do ambiente escolar e sustentabilidade — pode ser também uma forma incrível de despertar o perfil protagonista nesses jovens.

Engaje os alunos em ações com poder real de transformação no ambiente em que vivem, pois, é crucial que eles compreendam que são parte fundamental em todo o processo. Incentive a mobilização por causas, a colaboração, a interação, a inovação e a proatividade dentro e fora do ambiente escolar.

3. Promover a gamificação dos conteúdos é uma das melhores práticas inovadoras na educação

Essa é a alternativa perfeita para você, professor, não precisar mais competir com o smartphone do seu aluno. Aliás, em vez disso, por que não utilizar esse recurso a seu favor durante as aulas? Soluções que modernizam a gestão escolar são empregadas por municípios em todo o país, atualmente.

Pense bem: as pessoas são natural e inconscientemente interessadas por competição e socialização, talvez por isso estejamos tão conectados uns com os outros por meio de nossas redes sociais. Ainda, essas características são fortalecidas, provavelmente, pelo fato de sermos tão ligados aos aparelhos eletrônicos, como celular, tablet e computador.

Travar uma guerra com a tecnologia dentro da sala de aula, então, está longe de ser uma estratégia inteligente. Desse modo, o que você conseguirá, sem muito esforço, é afastar ainda mais o interesse do estudante.

Nesse contexto, a gamificação dos conteúdos na educação pode ser uma opção assertiva para atrair a atenção dos alunos, pois, funciona como jogos com rankings do bem — que premiam os melhores sem expor os piores —, competições, aventura, interação, medalhas e desafios que garantem efetivamente a execução das atividades pré-determinadas no planejamento pedagógico.

“Lembrando que o uso exagerado de tecnologia também atrapalha a aprendizagem. O excesso de telas pode tornar a criança ansiosa e imediatista. Construir e tocar com as próprias mãos é igualmente importante. Por isso, o segredo é manter o equilíbrio entre o concreto e a tecnologia.”

4. Abordar práticas de inclusão escolar

Para realizar práticas inovadoras na educação, a escola não pode contar apenas com a modernização, mas também com valores humanos. Tecnologia e sustentabilidade são fatores necessários, porém, não suficientes para educar uma pessoa e incitá-la para o melhor que pode ser.

A inclusão social significa, entre outras coisas, o exercício da solidariedade e da empatia, afinal, além de formar alunos, a sua escola também está formando cidadãos. Portanto, cultive ações que promovam a inclusão no ambiente escolar.

Não nos referimos, apenas, a fazer com que o aluno se sinta inserido no espaço, mas também ensiná-lo a ser gentil com os demais e tolerante diante das diferenças.

Além de fortalecer vínculos, uma escola acolhedora deve trabalhar de forma personalizada. Isto é, saber como atender ao perfil, ao ritmo e às particularidades de cada estudante, sem julgamentos e comparações.

5. Permitir que os alunos tenham voz e participação nos processos pedagógicos

Empoderar os alunos é mais um dos pontos fortes de uma escola inovadora. É muito triste que algumas instituições ainda não considerem as percepções dos estudantes ao implementarem mudanças, embora eles sejam o motivo de sua existência.

Práticas inovadoras envolvem, também, permitir e incentivar que os alunos tenham liberdade, voz e participação nos processos pedagógicos. Mais do que isso, a escola deve estar aberta para receber feedbacks, ou seja, saber ouvir as ideias, reclamações e sugestões que venham deles.

Viabilizando esse clima participativo, receptivo e dinâmico, a escola ganha a confiança, o respeito e o interesse do aluno que, consequentemente, se sentirá mais valorizado e suscetível às mudanças e atividades escolares.

Para facilitar esse processo, a sua escola pode pensar em usar aplicativos, grupos em redes sociais, criar blogs e qualquer outro meio tecnológico que empodere e dê voz ao estudante diante das questões do ambiente escolar.

Mais do que educar com eficiência um aluno para prestar vestibular e escolher uma profissão, adotar práticas inovadoras na educação representa, também, prepará-lo para ser alguém capaz de tornar o mundo um lugar melhor.

6- Ensinar os alunos a estudar

Diante de várias tarefas e provas, boa parte dos alunos não sabe por onde começar para botar suas obrigações em dia. Muitos não conseguem gerenciar o tempo fora da escola e acabam atrasando ou, muitas vezes, deixando de entregar o que deveriam.

“A escola também precisa ensinar os alunos a estudar, a fazer uma boa gestão do tempo, priorizar os conteúdos que possuem mais dificuldades e adotar métodos de estudo que mais se encaixam com seu perfil.”

Algumas ideias para ensinar os alunos a estudar são:

  • Dar dicas para que estudem em momentos de maior disposição, por exemplo:
    • evitar leitura após as refeições;
    • dar uma volta para se distrair e voltar com mais energia;
    • dentre outros.
  • Promover palestras, cursos e workshops sobre gestão do tempo;
  • Criar roteiros de estudo, priorizando suas maiores dificuldades. Uma ótima ferramenta para isso é o Geekie Lab.

7- Potencializar o aprendizado através da abordagem STEAM

Passou o tempo em que os alunos deveriam permanecer enfileirados em uma sala de aula, apenas escutando a explicação dos professores. O aprendizado não deve ser mecânico, por isso, os alunos precisam botar a mão na massa, resolver problemas e desenvolver sua criatividade.

A abordagem STEAM (Science, Technology, Engineering, Art, Mathematics) propõe essa mudança de paradigma, fazendo com que os alunos testem o que aprenderam nas aulas. A ideia é unir as cinco áreas do conhecimento para resolver um problema proposto de forma criativa, inovadora e funcional.

Na prática, os alunos devem se dividir em grupos, sendo que cada um deles deve propor uma solução para um problema predeterminado, utilizando todo o tipo de material possível e, de preferência, de baixo custo (afinal, os recursos das escolas são limitados).

Papel, EVA, canetas, copos, enfim, a criatividade é o que conta. Esse é o intuito da abordagem STEAM, botar a mão na massa e fazer mais com menos.

8- Liberar tempo dos professores com tarefas administrativas

O papel do professor é ensinar. De modo algum ele deveria se envolver com tarefas administrativas como, preenchimento de papéis e fechamento de notas.

“Hoje, no Brasil, cerca de 34% do tempo das aulas é perdido com burocracia. O que afeta diretamente a rotina dos alunos, dos professores e o tempo de aprendizagem.”

Além do excesso de rotinas administrativas, a falta de recursos públicos e de infraestrutura dificultam o trabalho do professor e fazem com que ele se sinta sobrecarregado e sem tempo para planejar as aulas como gostaria. Muitos precisam fazer dupla jornada ou dispensarem os alunos para dar conta de todas as suas demandas.

Soluções para otimizar o tempo do professor, como um sistema de gestão escolar, resolvem os gargalos administrativos das escolas e são grandes apostas para a superação da burocracia nas instituições de ensino.

Com apenas alguns cliques, os dados são cadastrados, acessados e analisados dentro do software. Muitos processos são automatizados, como no caso do envio dos dados ao Censo Escolar, liberando o tempo dos professores e gestores para se dedicarem ao planejamento das aulas e ao atendimento qualificado dos pais e alunos.

Da mesma forma, o diário de papel pode ser substituído por um diário eletrônico. Imagina poder carregá-lo no bolso e dar adeus àquele formulário gigante, que não permite rasuras e que exige que todas as anotações sejam resumidas, pois não há espaço suficiente para os registros?

Com um diário eletrônico, é possível registrar o plano de ensino, planejar as aulas, os conteúdos e, o mais importante, acompanhar a frequência escolar, as notas dos alunos, e tomar decisões sobre isso de forma mais ágil e inteligente.

9- Formar professores para transformarem a educação

O impacto do professor na vida dos alunos é enorme, não é verdade? Por isso, ele precisa estar preparado através de novos conhecimentos, formação e inovação para fazer a diferença.

“Para obter a atenção das crianças e adolescentes, que já nascem inseridos na tecnologia, o professor deve se reinventar. Não apenas em termos de utilização dos recursos tecnológicos, mas também em tornar-se um mediador do conhecimento e não mais um repassador de conteúdos.”

É importante compreender os alunos sob um olhar empático. Não basta dominar a tecnologia sem conhecer, profundamente, o funcionamento do cérebro das crianças.

Uma prova de que a formação dos professores é uma das práticas inovadoras na educação é a feira de educação Bett Educar de 2019, a maior da América Latina. Seu tema principal foi, justamente, a inovação nas formas de pensar o ensino e as abordagens pedagógicas.

Através de palestras e trocas de experiências, a feira trouxe à tona discussões riquíssimas sobre a educação brasileira, principalmente sobre a implementação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

Vale destacar que a tecnologia, por si só, não faz a diferença. O que causa impacto é um professor engajado para transformar a educação do País através de práticas inovadoras.

********

E então? Você já utiliza algumas das estratégias acima ou conhece outras práticas inovadoras na educação que não citamos aqui? Conta para nós a sua experiência, será um prazer ouvi-lo!

    Quer ficar por dentro das novidades?

    Assine a nossa newsletter e receba conteúdos incríveis toda semana!


    Portabilis Tecnologia

    A startup de tecnologia que ajuda os governos municipais a superarem a falta de informação através de soluções inteligentes, para aumentar o impacto das políticas públicas de educação e assistência social, focando em transformações sociais e a garantia do acesso de todos os brasileiros aos seus direitos.