5 min de leitura

Recursos da educação escassos: como fazer mais com menos?

Recursos da educação escassos: como podemos fazer mais com menos?

Com o aprofundamento da crise política e econômica no País, a União, os Estados e os Municípios estão enxugando seus gastos e buscando alternativas para manter a qualidade dos serviços públicos. E a educação, pilar de qualquer sociedade, não pode ser afetada com esta instabilidade.

Sabe-se como é difícil gerenciar uma rede de ensino e manter altos os índices de aprendizagem e aprovação para  o bom desempenho da rede de ensino, e com recursos escassos, essa tarefa parece ainda mais difícil. No entanto, há uma maneira do gestor escolar pode fazer mais ações com menos recursos da educação, confira mais neste post.

Mas como os gestores podem fazer mais com menos recursos da educação?

Os gestores podem fazer mais ações com menos recursos se houver a união do seu conhecimento administrativo com as ferramentas certas. Mas para conseguir medir os desafios e conseguir identificar o impacto que esses têm causado na rede de ensino, é importante que um gestor tenha os dados corretos à sua disposição.

Para elaborar as estratégias de economia financeira da rede de ensino e solucionar as dificuldades dos índices pedagógicos, como a evasão escolar e a alta taxa de reprovação, é importante que o gestor conheça as particularidades da sua rede de ensino, e é impossível ter ciência desses dados se eles não estão sendo coletados. A ferramenta certa para isso pode ser um software de gestão escolar, que fornece relatórios e concentra importantes dados para a análise de um gestor.

Podemos ter como exemplo o município de Monte Alegre, no interior do Rio Grande do Norte, que implantou o software público de gestão escolar i-Educar, em 2014, e com o esforço da gestão eficiente da Secretaria de Educação e o apoio do i-Educar, o município conseguiu economizar R$ 2,4 milhões no período de um ano. O caso de sucesso foi destaque nos portais do Governo Federal e do MEC.

RN: uso de software público gera economia de R$ 2,4 mi

Sistema público permite redução de gastos em cidade potiguar

Qual o segredo para economizar?

Em qualquer administração existem falhas e acertos, mas a gestão eficiente e a visão para o que precisa ser feito a frente é o segredo. Porém, não existe gestão de qualidade sem informações de qualidade e, por isso, quando um gestor busca dados, ele precisa procurar em fontes confiáveis para não comprometer a sua tomada de decisões e correr o risco de que ela seja influenciada por “achismos”.

As decisões que Monte Alegre tomou foram baseadas em dados concretos extraídos do seu sistema de gestão escolar, e que ajudaram em tomadas de decisões adequadas, seguras e que resultaram na economia de recursos da educação e melhor aproveitamento deles também, unindo o útil ao agradável.

Assim como Monte Alegre, municípios que querem economizar e, principalmente, ter uma gestão escolar de sucesso e que cumpra os objetivos pedagógicos, precisam se orientar por dados e informações concretas reais que vêm da própria rede de ensino, extraídas por um software de gestão escolar que ajuda a identificar as particularidades da realidade do município.

Como um software de gestão escolar pode otimizar a gestão e economia?

Com tantos desafios assim, a enorme demanda por uma gestão escolar otimizada vem crescendo, e a tecnologia deve ser o principal aliado nesse processo. Dessa forma, a escolha de um bom software de gestão é essencial à eficiência e à dinamização do trabalho administrativo no âmbito escolar e, consequentemente, no sucesso da automatização dos processos e economia dos recursos da educação.

Atendendo a essa demanda, as ferramentas digitais facilitam processos de auditoria e aumentam a produtividade, otimizando a rotina e trabalho e potencializando a proteção aos arquivos, além de eliminar tempo perdido, retrabalho dos servidores e desperdício de recursos. Mas de que maneira isso acontece?

Como um software eficiente de gestão escolar possibilita maior grau de automatização na geração de relatórios e emissão de documentos, os relatórios de desempenho e frequência dos alunos, diário dos professores, boletins e diversos outros documentos passam a ser emitidos pela secretaria de forma mais fluída e econômica, o que contribui para a imagem da rede de ensino e de sua administração frente aos alunos, pais, servidores e a própria Secretaria de Educação e, claramente, ajudando na economia dos recursos e facilidade de concluir processos.

Há também a grande vantagem da possibilidade real de se criar um sistema único para a gestão escolar, evitando a fragmentação e a dispersão de informações, que passam a ser facilmente localizáveis sempre que necessário. Escolas da rede pública têm seu aspecto empresarial muitas vezes não bem estruturados, e as operações financeiras precisam ser registradas e administradas o tempo todo. Transparência e eficiência no manejo dos recursos é essencial para o sucesso da gestão.

Criar metas e objetivos para a escola também ajuda na economia dos recursos da educação

Para ter mais eficiência na gestão de uma rede de escolas, assim como qualquer outro planejamento de cunho mais gerencial,  é importante traçar objetivos e metas de curto, médio e longo prazo, a fim de ter o que se quer alcançar mais visível para o gestor. Além disso, é importante descrever os planos de ações que serão adotados para alcançá-los, tornando mais possível e executável o planejamento estratégico.

Ao criar o planejamento, para que ele seja feito de forma mais descomplicada, o gestor deve colocar em pauta a situação administrativa da rede e usar as informações coletadas no software de gestão escolar a seu favor. Pode-se montar um quadro com aquilo que se pretende alcançar e as ações que serão tomadas, visualizando bem as informações como no sistema único de gestão, que falamos anteriormente e que possibilita que as informações financeiras estejam claras e transparentes, resultando no melhor aproveitamento dos recursos da educação.

Depois da definição de metas para a melhoria dos processos e ações da gestão, é importante também definir quais são as prioridades, os objetivos e as soluções que serão tomadas, o período de execução, o público-alvo, os recursos da educação (disponíveis e também os que se querem alcançar), quem serão os responsáveis pelas ações e os resultados esperados. Disponibilizar os temas em forma de tabelas para facilitar a visualização é uma ótima dica para gestores e servidores que est
ão trabalhando de forma colaborativa em um mesmo projeto, como é o caso de uma rede de ensino.

Com as informações claras, transparentes e traçando um objetivo para melhorar a gestão e os índices da rede de ensino, se torna possível realizar mais ações com menos recursos da educação. Assim como Monte Alegre uniu a inteligência gerencial a uma ferramenta certa para ajudá-la nessa missão, todas as redes de ensino também podem fazê-lo. 🙂

Viu como é possível fazer mais com menos?

Agora que você sabe como esse processo pode ser descomplicado e alcançável, pode ver como as redes de ensino podem realizar ações significativas em seus municípios a partir do melhor conhecimento dos dados obtidos por uma ferramenta de gestão escolar, aliado à uma forte de vontade de aplicar uma administração mais eficiente.

Você é um gestor e quer saber mais sobre como tornar sua rede de ensino um caso de sucesso? Entre em contato com a gente e saiba como podemos ajudá-lo!

saiba-mais

Quer ficar por dentro das novidades?

Assine a nossa newsletter e receba conteúdos incríveis toda semana!


Portabilis Tecnologia

A startup de tecnologia que ajuda os governos municipais a superarem a falta de informação através de soluções inteligentes, para aumentar o impacto das políticas públicas de educação e assistência social, focando em transformações sociais e a garantia do acesso de todos os brasileiros aos seus direitos.