4 min de leitura

Saiba como as metodologias ativas de aprendizagem prometem revolucionar o ensino

As metodologias ativas de aprendizagem são propostas inovadoras de ensino, que possuem o objetivo de transformar o aluno em protagonista na construção do seu conhecimento. A ideia é fazer com que ele aprenda a aprender e deixe de ser, apenas, um mero receptor de conteúdo.

Se desejamos que crianças e adolescentes sejam proativos, por exemplo, devemos propor atividades que desenvolvam essa habilidade, como no caso de tarefas que sugiram resoluções de problemas reais e tomadas de decisão. O mesmo serve para criatividade, autonomia e confiança – só para citar alguns exemplos.

Vale destacar que, com essas novas metodologias, os professores continuarão fundamentais no processo de ensino. Porém, no papel de mediadores do conhecimento, instigando os alunos a participarem ativamente das aulas.

Para facilitar o entendimento e a aplicação desse novo formato de ensino, trouxemos alguns conceitos e exemplos abaixo. Continue com a gente!

Exemplos de metodologias ativas de aprendizagem

Inúmeras pesquisas têm chegado à conclusão de que as metodologias ativas são mais eficazes na aprendizagem se comparadas ao ensino tradicional. Apesar de alguns desafios encontrados pelos professores na hora de aplicá-las, seus benefícios são muito maiores.

É importante destacar que existem várias formas de aplicar metodologias ativas em sala de aula. O professor precisar testar e avaliar qual a mais adequada para sua turma. Lembrando, também, que podem ser utilizadas em qualquer disciplina, basta adaptar as suas particularidades. 

Conheça, abaixo, algumas das metodologias ativas de aprendizagem mais conhecidas e utilizadas.

Aprendizagem baseada em problemas

Também conhecida como Problem Based Learning (PBL), na aprendizagem baseada em problemas, o professor apresenta um problema e os alunos, de forma colaborativa, propõem uma ou mais soluções. A questão proposta precisa ser inspirada em uma situação real e conectada ao objetivo de estudo.

O desafio deve ter um nível de dificuldade equilibrado, ou seja, não deve ser tão difícil a ponto de desmotivar os alunos e não pode ser tão fácil, pois precisam se sentir desafiados. É assim que conseguirão desenvolver habilidades como, investigação, reflexão, criação e resolução de problemas.

Os alunos podem utilizar diversos recursos na tentativa de encontrar soluções para o desafio, inclusive tecnológicos. O objetivo é que usem e abusem de sua criatividade.

No momento em que estiverem buscando alternativas para solucionar o problema, o professor deve fazer o papel de mediador, instigando os alunos, facilitando as discussões e apresentando caminhos para a construção do conhecimento.

Aprendizagem baseada em projetos

A aprendizagem baseada em projetos propõe que os alunos coloquem a mão na massa e aprendam fazendo.  

Um bom exemplo desse tipo de aprendizagem é o que aconteceu na Escola Estadual de Educação Profissional Guilherme Teles Gouveia, no Ceará. Os alunos do Ensino Médio criaram um aplicativo para poupar água nas casas por meio de um monitoramento de seus recursos hídricos. Com isso, conseguiram colocar em prática o que aprenderam sobre educação ambiental e tecnologia. Bacana, não?

Aprendizagem baseada em times

Também conhecida como Team Based Learning (TBL), a aprendizagem baseada em times propõe a resolução de problemas e o compartilhamento de ideias entre grupos de trabalho.

Desta forma, os alunos aprendem a pensar de forma colaborativa, desenvolvendo habilidades como, argumentação, pensamento crítico e respeito mútuo.

Sala de aula invertida

Na sala de aula invertida, o aluno tem acesso ao conteúdo antes das aulas acontecerem, através de portais ou aplicativos on-line. Por meio de diferentes recursos como, vídeos, imagens e textos, é possível estudar com antecedência, anotar dúvidas e discutir o tema com os colegas.

O interessante é que, no dia da aula, todos estão por dentro do conteúdo. Com isso, o tempo pode ser utilizado para discussões e esclarecimento de dúvidas. 

Dentre as vantagens da sala de aula invertida estão: participação ativa do aluno na construção do seu aprendizado, melhor planejamento das aulas e respeito ao ritmo de estudo do aluno, já que ele pode, por exemplo, assistir um vídeo e repassar a matéria quantas vezes for necessário. 

Gamificação

Os alunos adoram jogos e competições, então por que não inseri-los nas aulas como uma forma de ensinar os conteúdos?

Você pode utilizar games prontos ou criá-los conforme o que deseja ensinar. O importante é engajar os alunos e promover a aprendizagem de forma criativa.

Associe os jogos à tecnologia, todos vão adorar! Não esquecendo de relacioná-los, sempre, ao objeto de estudo. 

Um bom exemplo foi a proposta da professora de História, Marili Bassini. Ela pediu para que os alunos avaliassem a narrativa do famoso jogo Assassin’s Creed e apontassem o que condizia com a realidade – sobre a Revolução Francesa – e o que era apenas ficção. Pela familiaridade com o game, todos participaram ativamente da pesquisa e das discussões em sala de aula.

Vantagens 

As metodologias ativas de aprendizagem trazem propostas bem diferentes do que é praticado no ensino tradicional e podem assustar no começo, porém, são muito vantajosas se aplicadas da maneira correta.

A questão é que:

“A sociedade está se transformando, principalmente pelo avanço da tecnologia, e a escola precisa acompanhar essas mudanças.”

Os alunos querem aulas cada vez mais dinâmicas. Além, é claro, da necessidade de desenvolver de forma integral as crianças e os adolescentes, através do fortalecimento de uma série de competências que são importantes ao longo da vida de todas as pessoas.

Veja, abaixo, quais as habilidades que as metodologias ativas pretendem desenvolver:

Principais desafios

As inovações, no começo, assustam a maioria das pessoas. Muitos alunos vão demorar a aceitar as novas metodologias por exigirem maior esforço de sua parte. Também terão aqueles que acharão que o professor está enrolando ou com preguiça de dar aula, já que estão acostumados com aulas, basicamente, expositivas.

Por isso, é importante que o professor explique o que são as metodologias ativas de aprendizagem aos alunos e apresentem suas vantagens em relação aos métodos tradicionais de ensino.

Outra ideia é aplicá-las aos poucos, avaliando o que funciona ou não para a turma. Essa ação também servirá para que todos se adaptem às novas metodologias com tranquilidade e sem traumas.

********

E então? O que achou das metodologias ativas de aprendizagem? Já aplica alguma delas em sala de aula? Como tem sido na prática? Conta para nós a sua experiência, será um prazer ouvi-lo!

Se gostou desse conteúdo, assine a nossa newsletter e fique por dentro de outros textos como este!

    Quer ficar por dentro das novidades?

    Assine a nossa newsletter e receba conteúdos incríveis toda semana!


    Portabilis Tecnologia

    A startup de tecnologia que ajuda os governos municipais a superarem a falta de informação através de soluções inteligentes, para aumentar o impacto das políticas públicas de educação e assistência social, focando em transformações sociais e a garantia do acesso de todos os brasileiros aos seus direitos.